Nossa conversa de hoje…

Oi gente!

Hoje tive uma conversa decisiva com “maridon”, iniciei logo abrindo o meu coração e falando o quanto estou desgastada emocionalmente e fisicamente por essa vontade louca de ser mãe… eu não posso continuar assim..

Ele logo questionou que estou muito ansiosa, como assim?!? São quase 2 anos e meio tentando com diversos exames e mais exames, cirurgia, enfim.. não tem quem consiga ficar super tranquila..

O médico me garantiu que vou conseguir engravidar naturalmente, vou passar por outro médico dia 15/03 para segunda opinião, porém, eu tenho o pé no chão e sei dos meus problemas e que naturalmente não será fácil ou rápido.

E foi por conta do meu desgaste, que decidimos que vou focar no meu trabalho, inglês, saúde e outros planos. Em novembro vamos partir direto para FIV e iniciaremos o ano de 2017 se Deus quiser com nosso baby!

Por isso meninas, eu não atualizarei o blog com tanta frequência, somente se acontecer algo muito importante durante esses meses..

Fico por aqui, com tranquilidade no coração e fé que no tempo de Deus tudo vai dar certo.

Um forte beijo,

Uma futura mãe!

O plano de saúde e muita dor de cabeça

Eu nunca imaginei que mudar de plano de saúde me daria tanta dor de cabeça..

Meu plano era SulAmérica e aqui no meu estado não temos muitos médicos que atendem por ele, foi quando decidi migrar para a Unimed e ter mais opções de especialistas.

Como já comentei, eu já tive endometriose e em 2004 precisei passar por uma videolaparoscopia para retirar uma das trompa e de lá pra cá não apresentava nenhum problema e sintomas relacionados a doença.

No ato da migração em julho de 2015 preenchi um questionário referente as doenças “pré existentes” perguntei ao consultor se seria necessário citar a cirurgia do passado, ele disse que sim, pois caso contrário seria omissão de informações. OK, fiz tudo certinho, o que uma pessoa honesta faria, não é?!

Quando foi em outubro meus sangramentos irregulares que até então achava ser por falta de progesterona, pioraram e junto chegaram as cólicas, muito e muito fortes… Procurei o mesmo médico que me operou em 2004 (que é especialista em laparoscopia) e expliquei tudo que estava acontecendo, imediatamente ele solicitou uma ressonância da pelve e em seguida marcaríamos a cirurgia para “limpar” o útero.

A ressonância foi negada de cara e o plano alegou doença pré existente… gente fiquei em choque, chorei, me descabelei e decidi abrir uma reclamação na ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar e contar toda a minha história e apresentei documentos que comprovavam que no momento da migração eu não apresentava sinais da doença.

Mais uma vez o plano respondeu  que só seria possível liberar em julho de 2017.. como assim? Fui honesta e me lasquei?  Foi o que eu falei para auditora da Unimed, eu não tenho como esperar até essa data, “minha querida”.. doença não marca dia e hora para chegar e disse mais, que eu poderia ter omitido tudo que eles nunca saberiam, mas fui fazer tudo certo e me ferrei… enfim, mais uma vez eles negaram os dois pedidos.

Ok, decidi com meu esposo que faríamos tudo particular..  Paguei R$800,00 pela ressonância da pelve em dezembro e R$ 6800,00 pela cirurgia agora em janeiro.. um absurdo sendo que pago regularmente o meu plano, mas era minha saúde que estava em jogo, por isso não pensamos duas vezes e raspamos nossas contas bancárias para conseguir pagar..

E quando eu não esperava mais nada… hoje recebi um e-mail da ANS falando que abriu um processo administrativo contra operadora, pois ele não poderiam ter negado minhas solicitações, de acordo com a RN 162/2007, em seu art. 10 o formulário serve apenas como controle para auditoria interna,e que doença pré existente é caracterizada quando o paciente está com a doença no momento da migração.. e não por já ter passado por qualquer procedimento no passado.

Senhor Deus, tu és muito bom!! Nesse momento vejo uma luz no final do túnel!!!

Agora vou juntar toda documentação, comprovantes de pagamento, exames e procurar meus direitos com advogado..além dos valores pagos, vou pedir também danos morais pela falta de respeito e pela preocupação provocadas pela operadora.

Agora é preciso aguardar as cenas dos próximos capítulos..

O resultado da ressonância e o da cirurgia conto em outro post.. minha saga continua!

Um forte beijo!

Uma futura mãe!

 

 

 

 

 

 

 

Exames, exames e exames..

Com a perda da minha filha, tive que esperar 06 meses para começar a tentar novamente. A médica que acompanhou minha gestação falou na época que estava tudo bem comigo, que em breve engravidaria novamente e que não precisava investigar o parto prematuro, pois isso pode acontecer.

Achei estranho, fiquei com a pulga atrás da orelha, demorei um pouco e tentei engravidar naturalmente e nada acontecia.. foi ai que decidi em 2015 procurar uma segunda opinião. Expliquei tudo que aconteceu ela logo de cara solicitou uma histerossalpingografia, disse que precisava investigar, pois normal não era, e que para uma futura gestação era preciso entender o que havia acontecido.

Em março de 2015 fiz o exame, confesso que foi bem dolorido, mas meu marido me acompanhou, sai de lá com a certeza que estava tudo bem e que a luta estava perto de acabar, mais uma vez doce ilusão..

Descobri com exame que tenho o útero unicorno, putzzz … no link vocês entenderão um pouco essa anomalia: http://brasil.babycenter.com/a4000052/anomalias-anat%C3%B4micas-do-%C3%BAtero e a trompa estava enovelada.

No dia fui buscar o exame na hora do meu almoço, recordo que voltei para o trabalho arrasada, mas precisava ser forte, pois tinha uma reunião e não poderia misturar as coisas, quando cheguei em casa chorei feito criança.. meu mundo mais uma vez caiu, e me perguntei “Por que meu Deus? Por que comigo? O que fiz?” Muitas perguntas, muitos por quês..

Pois bem, levei para médica e ela falou o que eu já imaginava, minha filha nasceu prematura por que o meu útero não suporta carregar um bebê até o final, mais uma vez desabei no choro..

E falou mais, com a trompa enovelada tenho mais dificuldade para engravidar, pois é mais difícil para o óvulo encontrar o espermatozoide, poxa vida meu Deus.. Mas que nada é impossível e que com esse problema ainda corro o risco de ter uma gravidez tubária, sortuda eu né?!?  E não receitou tratamento nenhum, apenas tentar, tentar, tentar e relaxar…

Como relaxar com esse banhos de água fria? Não conheço que suportaria, mas enfim.. decidi focar no trabalho e tentar esquecer um pouco (só tentei esquecer, por que conseguir mesmo, não consegui).

Todo mês era uma tortura, e pra piorar.. comecei a ter sangramentos após as relações e a sentir muita cólica.. minha saga ainda não terminou..

Hoje é isso.. volto para contar a outra etapa em breve..

Um forte beijo,

Uma futura mãe!